A sucessão do companheiro e a inconstitucionalidade do artigo 1.790 do Código Civil